terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Mais que casca

A vida só faz sentido quando criamos laços
Em especial consigo mesmo
Como o principezinho que vive dentro de cada um
Ele representa tudo que um dia queríamos ser.

Ele não se preocupa em cumprir os pré-requisitos da vida adulta.Estabelecidos pela sociedade consumista. Apta a sempre por preço em tudo. A quantificar o que não pode ser contado; mas sentido
Viver com sentido!
É isso que o principezinho deseja.
Era isso que desejávamos!
Lembra?
Criar laços de sinceridade é tudo que toda alma criança almeja. 
Mas encontramos outros habitantes em nós mesmos, que nos roubaram do pequeno príncipe
O orgulho, a vaidade, os vícios e o querer sempre mais e mais. As vezes até acendemos lampiões, mas para cumprir o que mandam, não o que desejamos. 
É um eterno fazer sem sentido, no qual não cabe o dividir.
Triste realidade da vida adulta. 
Solitários fazedores de dias sem sentido e afetos.

Quem sabe um dia cheguemos ao deserto!
No qual podemos estar sozinhos a ponto de encontrar quem éramos. 
E aí, quem sabe.
Encontrá-lo lá.
Ansioso por brincar com a vida
Cuidar do mais importante.
Do sentido. 
Do cativar.
Do que é invisível e mais importante
De nós mesmos e da nossa estabilidade emocional
Que precisa da simplicidade do cativar permanente!
Da felicidade dos encontros!
Que Deus nos permita viver , com sentido, antes de morrer.
A sermos mais do que casca.
A sermos coração



sábado, 26 de maio de 2018

As palavras - Sirleia Silva

O termômetro do meu afeto pode ser medido por palavras.
As que digo, por querer um tempinho a mais com quem me é querido.
E as que não digo, oralmente, mas no silêncio do empréstimo do ouvido acariciando o rosto querido!
As que economizo, por saber que não existe reciprocidade.
Agora se falo muito, é porque você é amado demais!
Por favor , tenha paciência de me ouvir, pois só me desnudo do polimento das vivencias diárias para quem eu sinta que possa ver minha alma.
Lembre-se: Não sei amar pouco. Eu transbordo!

Sirléia Silva





quinta-feira, 24 de maio de 2018

Bodas de Zircão

38-17= 21
44-23=21 
2018 - 1997 = 21
e lá se vão 21 anos efetivamente juntos. 
A dois somam-se mais dois, agora somos quatro.
Assim são os anos, somatório e transbordamentos!
E não foram diferentes os nossos anos de vivencia, a nós somaram-se pessoas, lugares, sentimentos , vida afinal.
Hoje somos zircão.
O zircão é a pedra da virtude, e olha como a simbologia é interessante. A virtude são os hábitos constantes que nos levam para o caminho do bem.
Nestes somatórios dos anos nos habituamos a fazer o bem, um ao outro e , assim, entendemos que o casamento nos treina para pertencer ao TODO.
Estamos encaixados.
Em nós.
Em Deus,
Em família .
Agora estamos prontos não apenas para somar, mas para. fluir.
Transbordar!
Que venham mais anos.
Para termos mais oportunidades de refletir e agradecer toda essa plenitude de ser que o Senhor nos concede.
Joao Batista queres continuar somando mais vivencias aos meus anos?







sábado, 19 de maio de 2018

Contei meus anos e descobri - Rubem Alves

Contei meus anos e descobri

Que terei menos tempo para viver do que já tive até agora....
Tenho muito mais passado do que futuro...
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de jabuticabas...
As primeiras, ele chupou displicentemente..............
Mas, percebendo que faltam poucas, rói o caroço...

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades...
Inquieto-me com os invejosos tentando destruir quem eles admiram.
Cobiçando seus lugares, talento e sorte.....
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas
As pessoas não debatem conteúdo, apenas rótulos...
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos...
Quero a essência.... Minha alma tem pressa....
Sem muitas jabuticabas na bacia
Quero viver ao lado de gente humana...muito humana...
Que não foge de sua mortalidade.
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade...

Rubem Alves


quinta-feira, 3 de maio de 2018

Dia das Mães 2018

Só ganhei dimensão de mãe em família!

Afinal, mãe só existe dentro da família. 

Desde que abri esse presente não sou só. 

Nomeiam-me por: Mãe de João e Mãe de Isabel. 

Mesmo morta, ainda viverei.

Sempre serei invocada, quando a eles perguntarem: Nome da mãe?

Permanecerei nos traços físicos dos netos e no caráter forjado dos meus filhos.
Mãe não morre, talvez mude de tamanho. 

Clarice certa vez escreveu: "À medida que os filhos crescem, a mãe deve diminuir de tamanho. 
Mas a 
tendência da gente é continuar a ser enorme."

Concordo com ela. 

Escritos de Sirléia silva

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

E viva a multiplicidade dos seres!!!

Passarinho de toda cor
Gente de toda cor
Amarelo, rosa e azul
Me aceita como eu sou
Eu sou amarelo-claro
Sou meio errado pra lhe dar com o amor
No mundo tem tantas cores
São tantos sabores
Me aceita como eu sou
Eu sou ciumento
Quente, friorento
Mudo de opinião
Você é a rosa certa
Bonita, esperta
Segura na minha mão

Citação "O Inexato" de Elisa Lucinda:

Que o mundo é sortido
Eu toda vida soube
Quantas vezes
Quantos diversos de mim 
Em minha alma houve?
Árvore, tronco, maré, tufão, capim, 
Madrugada, aurora, sol a pino e poente
Tudo carrega seus tons, seu carmim
O vício, o hábito, o monge
O que dentro de nós se esconde
O amor, o amor, o amor
A gente é que é pequeno
E a estrelinha é que é grande
Só que ela tá bem longe
Sei quase nada, meu Senhor
Só que sou pétala, espinho, flor
Só que sou fogo, cheiro, tato, plateia e ator
Água, terra, calmaria e fervor
Sou homem, mulher
Igual e diferente, de fato
Sou mamífero, sortudo, sortido, 
Mutante, colorido, surpreendente, medroso e estupefato
Sou ser humano
Sou o inexato


Mais que casca