sábado, 23 de fevereiro de 2019

O caminho e as pedras

Uma das decisões mais importantes da vida é escolher um caminho para seguir.
Esse caminho dirá muito do futuro que queremos, dos sonhos e objetivos que almejamos.
Mas a verdade é que em um momento, ou outro, todos encontraremos uma pedra no meio do caminho.
E sabe. 
O problema não são as pedras que encontramos. Não.
Para Moisés as pedras foram o papel perfeito, para Deus escrever os seus mandamentos!
Para Davi, pedras foram a arma que derrubou o seu gigante! 
Para Gideão, pedras foram necessárias para reedificar um altar!
Para Jacó, uma pedra tronou-se o travesseiro para o seu descanso!
Para a mulher adultera, as pedras no chão foram o  maior livramento recebido em sua vida!
O problema está naquilo que deixamos que essas pedras gerem dentro de nós. 
Você consegue entender?
As pedras podem destruir sim. 
Mas nas mãos de quem é disposto e tem visão, são instrumentos para reconstrução, 
de algo ainda mais bonito e forte.
Pedras podem fazer cair sim.
 Mas nos olhos de quem é sincero e arrependido,
sempre serão motivos para se levantar mais uma vez. 
Pedras ferem e machucam sim.
Mas no caminho que entende o propósito para o qual está vivendo, 
são marcas de um sofrimento que não foi maior e nem mais forte do  que o amor por quem está esperando  ao final do caminho, Jesus Cristo.
Se permitimos, elas irão nos derrubar sim, mas sabem... elas passam!
Ainda podemos levantar e reedificar o altar que se quebrou.
Pedras não param ninguém.
Apenas quem já queria um motivo para parar.
Talvez se reagirmos de uma forma diferente, elas não destruiriam tanto.
Elas não seriam quedas todas as vezes.
Elas não seriam feridas por tanto tempo.
Elas se tornariam vestígios de um caminho, que nos tornou muito mais resistentes, 
firmes e constantes.
Jesus nos ensina que a casa que está edificada sobre a rocha
não será abalada. 
Ou seja, não é sobre derrubar ou construir a casa . 
Não.
A rocha está lá para que a casa seja levantada e construída sobre ela.
O nosso erro está em usar como desculpa para permanecer no chão, aquilo que Deus permite no meio do caminho para nos ensinar como caminhar.
E a verdade é essa.
Cada pedra no meio do caminho nos ensina a caminhar melhor.
Sabe. A pedra que tapou o sepulcro. Para muitos significou o fim.
Mas para Cristo, e para aqueles que creem nele  foi a porta que se abriu para a reconciliação entre o nosso Deus e quem nós somos.
Lapide suas pedras.
Pode existir um tesouro escondido em cada uma delas.






terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Mais que casca

A vida só faz sentido quando criamos laços
Em especial consigo mesmo
Como o principezinho que vive dentro de cada um
Ele representa tudo que um dia queríamos ser.

Ele não se preocupa em cumprir os pré-requisitos da vida adulta.Estabelecidos pela sociedade consumista. Apta a sempre por preço em tudo. A quantificar o que não pode ser contado; mas sentido
Viver com sentido!
É isso que o principezinho deseja.
Era isso que desejávamos!
Lembra?
Criar laços de sinceridade é tudo que toda alma criança almeja. 
Mas encontramos outros habitantes em nós mesmos, que nos roubaram do pequeno príncipe
O orgulho, a vaidade, os vícios e o querer sempre mais e mais. As vezes até acendemos lampiões, mas para cumprir o que mandam, não o que desejamos. 
É um eterno fazer sem sentido, no qual não cabe o dividir.
Triste realidade da vida adulta. 
Solitários fazedores de dias sem sentido e afetos.

Quem sabe um dia cheguemos ao deserto!
No qual podemos estar sozinhos a ponto de encontrar quem éramos. 
E aí, quem sabe.
Encontrá-lo lá.
Ansioso por brincar com a vida
Cuidar do mais importante.
Do sentido. 
Do cativar.
Do que é invisível e mais importante
De nós mesmos e da nossa estabilidade emocional
Que precisa da simplicidade do cativar permanente!
Da felicidade dos encontros!
Que Deus nos permita viver , com sentido, antes de morrer.
A sermos mais do que casca.
A sermos coração



sábado, 26 de maio de 2018

As palavras - Sirleia Silva

O termômetro do meu afeto pode ser medido por palavras.
As que digo, por querer um tempinho a mais com quem me é querido.
E as que não digo, oralmente, mas no silêncio do empréstimo do ouvido acariciando o rosto querido!
As que economizo, por saber que não existe reciprocidade.
Agora se falo muito, é porque você é amado demais!
Por favor , tenha paciência de me ouvir, pois só me desnudo do polimento das vivencias diárias para quem eu sinta que possa ver minha alma.
Lembre-se: Não sei amar pouco. Eu transbordo!

Sirléia Silva





quinta-feira, 24 de maio de 2018

Bodas de Zircão

38-17= 21
44-23=21 
2018 - 1997 = 21
e lá se vão 21 anos efetivamente juntos. 
A dois somam-se mais dois, agora somos quatro.
Assim são os anos, somatório e transbordamentos!
E não foram diferentes os nossos anos de vivencia, a nós somaram-se pessoas, lugares, sentimentos , vida afinal.
Hoje somos zircão.
O zircão é a pedra da virtude, e olha como a simbologia é interessante. A virtude são os hábitos constantes que nos levam para o caminho do bem.
Nestes somatórios dos anos nos habituamos a fazer o bem, um ao outro e , assim, entendemos que o casamento nos treina para pertencer ao TODO.
Estamos encaixados.
Em nós.
Em Deus,
Em família .
Agora estamos prontos não apenas para somar, mas para. fluir.
Transbordar!
Que venham mais anos.
Para termos mais oportunidades de refletir e agradecer toda essa plenitude de ser que o Senhor nos concede.
Joao Batista queres continuar somando mais vivencias aos meus anos?







sábado, 19 de maio de 2018

Contei meus anos e descobri - Rubem Alves

Contei meus anos e descobri

Que terei menos tempo para viver do que já tive até agora....
Tenho muito mais passado do que futuro...
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de jabuticabas...
As primeiras, ele chupou displicentemente..............
Mas, percebendo que faltam poucas, rói o caroço...

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades...
Inquieto-me com os invejosos tentando destruir quem eles admiram.
Cobiçando seus lugares, talento e sorte.....
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas
As pessoas não debatem conteúdo, apenas rótulos...
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos...
Quero a essência.... Minha alma tem pressa....
Sem muitas jabuticabas na bacia
Quero viver ao lado de gente humana...muito humana...
Que não foge de sua mortalidade.
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade...

Rubem Alves


quinta-feira, 3 de maio de 2018

Dia das Mães 2018

Só ganhei dimensão de mãe em família!

Afinal, mãe só existe dentro da família. 

Desde que abri esse presente não sou só. 

Nomeiam-me por: Mãe de João e Mãe de Isabel. 

Mesmo morta, ainda viverei.

Sempre serei invocada, quando a eles perguntarem: Nome da mãe?

Permanecerei nos traços físicos dos netos e no caráter forjado dos meus filhos.
Mãe não morre, talvez mude de tamanho. 

Clarice certa vez escreveu: "À medida que os filhos crescem, a mãe deve diminuir de tamanho. 
Mas a 
tendência da gente é continuar a ser enorme."

Concordo com ela. 

Escritos de Sirléia silva

O caminho e as pedras